Governador afirma que vai reduzir a máquina pública

Diminuir a máquina pública para atender as prioridades dos catarinenses em áreas como Saúde e Segurança Pública. O governador Eduardo Pinho Moreira disse que esta é uma decisão da qual não abrirá mão até o fim do mandato. A diretriz central do atual governo – com rigoroso controle do gasto público - foi apresentada em um evento com empresários na tarde de ontem em Florianópolis.

Durante o evento, promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais, o Lide, de Santa Catarina, o governador chamou a atenção para números da economia catarinense. Mostrou, por exemplo, o crescimento vegetativo da folha de pagamento do Estado. Segundo ele, mesmo não concedendo aumento aos servidores, o acréscimo com as despesas chegará a R$ 651 milhões em 2018.


Além da redução de secretarias anunciada no início da gestão, o governador reforçou que, constantemente, serão tomadas medidas semelhantes com redução de cargos comissionados. No evento, Eduardo Moreira confirmou que nas próximas semanas, a secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL) será extinta. “A Santur será a responsável por divulgar Santa Catarina no que diz respeito ao turismo, e as funções administrativas da pasta estarão vinculadas ao gabinete do governador”, explicou. Com a extinção da SOL, além das demais secretaria e ADRs, em pouco mais de um mês de governo Moreira terá reduzido o equivalente a 30% do quadro de cargos comissionados do Governo do Estado.

O governador destacou e reconheceu a contribuição do Turismo – que está entre os setores que mais geram riqueza em SC – na arrecadação do Estado: “Vamos continuar atentos às necessidades do Turismo, Esporte e Cultura. O que vamos fazer é otimizar recursos e isto quer dizer fazer mais com menos. Esta filosofia de trabalho vai nortear todas as nossas ações”, pontuou. Pinho Moreira fez questão de destacar ao longo de sua fala a frase: “Fazer mais com menos”. Ele a utilizou em pelo menos sete ocasiões.

O governador enfatizou que o Estado chegará ao fim de 2018 com dinheiro em caixa, salário dos servidores rigorosamente em dia e com as demandas que foram definidas como prioridades atendidas. “Com responsabilidade, compromisso, e coragem nosso Estado fechará bem o ano”, avaliou.

A sinceridade do governador e a disposição de compartilhar informações e números foi bem recebida pelas lideranças empresariais presentes ao evento. Para Moreira, “o diálogo entre setores público e privado fortalece o comprometimento em entender e propor soluções para os desafios de Santa Catarina no momento em que a economia começa a dar os primeiros sinais de reação após a recessão histórica enfrentada pelo país”. Para a empresária Andrea Druck, “é louvável toda e qualquer ação de redução de despesas da máquina pública, principalmente quando ela está voltada ao desenvolvimento econômico e social de todo o Estado, com garantia de que o turismo receberá a atenção que merece”.


Ao falar das prioridades estabelecidas pelo atual governo, Eduardo Pinho Moreira citou os avanços na área da Saúde. Entre eles estão o cumprimento do repasse mensal dos 14% da receita líquida do Estado e o repasse de R$ 70 milhões adicionais, destinados a quitar restos a pagar de 2017.

Como próximos passos, o governador disse que vai buscar em Brasília o comprometimento pessoal do presidente da República com o pagamento de uma dívida já reconhecida pelo Governo Federal com Santa Catarina. O montante referente à diferença dos custos entre o que o Estado realizou e o que foi pago pelo Ministério da Saúde chega a R$ 212 milhões. Moreira afirmou que vai pleitear também o aumento para R$ 17 milhões do repasse mensal feito ao Estado.

“São recursos que vão nos ajudar a fazer frente às dificuldades do setor”, argumentou o governador. Segundo ele, o Governo continua trabalhando na revisão de contratos para que todo o desperdício seja eliminado. “Controlando os gastos e repassando os 14% é possível fazer saúde com qualidade em Santa Catarina”, salientou.


O governador destacou que a união das forças de segurança do Estado em diversas frentes de atuação e, principalmente com a realização de operações de combate ao crime, fortaleceu a presença da polícia nas ruas e já reduziu os índices de violência em Santa Catarina. Dados divulgados recentemente pela Secretaria de Estado da Segurança Pública apontam que de 1º de janeiro até 19 de março deste ano, o número de ocorrências policiais caiu 30,9% em relação ao mesmo período de 2017. Também houve redução de homicídios ( -21,6%) e latrocínios, que são os roubos seguidos de morte ( -46,2%).

“Temos a melhor polícia do Brasil. Homens e mulheres que assumiram com coragem essa missão de proteger a sociedade e enfrentar a criminalidade com inteligência”, elogiou o governador. Moreira adiantou que serão realizados novos investimentos em aquisição de tecnologia, armamento e equipamentos de proteção policial. Nesta segunda-feira, 19, o governador autorizou a compra de 259 novas viaturas para as polícias Civil e Militar.


Novos investimentos com dinheiro do caixa do Governo estão praticamente descartados. Todos os esforços estão concentrados em acessar recursos disponíveis pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), na ordem de R$ 723 milhões. “Vamos captar esse recurso e garantir a realização de obras estruturantes em todas as regiões”, afirmou Moreira.

Entre as demandas que deverão ser encaminhadas na carta-consulta do Estado ao Banco estão a recuperação das pontes de entrada e saída de Florianópolis, a implantação do novo acesso ao aeroporto da Capital, e a revitalização da SC-401. “Pode ser que eu não construa capelas, nem pequenas igrejas, mas deixarei as bases para grandes catedrais”, concluiu Moreira, referindo-se à consolidação de ações e projetos para o desenvolvimento de Santa Catarina.

 

Fonte: Francieli Dalpiaz - Assessoria de Imprensa do Governo do Estado de Santa Catarina

Foto: Jeferson Baldo

Data: 21/03/2018
2017 - Todos os Direitos Reservados à Rádio Pomerode.
Site desenvolvido por:
Alho-poró e DM System