Prefeito repercute dez anos da catástrofe de 2008 em Pomerode

O dia 22 de novembro de 2008 com certeza entrou para a história de Pomerode e de diversos municípios do Vale do Itajaí. A cidade sediava os Jogos Abertos, conjuntamente com Indaial, Rio dos Cedros e Timbó, quando atletas começavam a deixar a região em virtude da grande quantidade de chuva que caía sobre Santa Catarina e que aos poucos já fazia deslizar encostas, bloquear rodovias e isolar municípios do estado. Em Pomerode, um caso emblemático foi em Testo Central, às margens da SC-421, em que barreiras desceram de um morro, bloquearam a pista e levaram também parte de uma casa às margens da rodovia, que ficou apenas com os pilares e o telhado intactos. Na catástrofe ambiental de 2008, na região do Vale do Itajaí, foram mais de 100 mortos, centenas de desaparecidos e milhares de famílias desabrigadas ou desalojadas.

 
Na manhã desta terça-feira, Salmos de Souza conversou com o prefeito Ércio Kriek, que na época também estava à frente do executivo municipal e viveu de perto os transtornos da enxurrada e dos deslizamentos de terra que afetaram praticamente todas as localidades de Pomerode. Ércio faz um balanço sobre a tragédia e os avanços que ocorreram em todo o município de dez anos para cá. Em entrevista à Rádio Pomerode, o prefeito pontuou questões objetivas que foram solucionadas e destacou a parceria da comunidade. Também foi citado o trabalho jornalístico da Rádio Pomerode durante todo o evento climático que assolou a cidade, principalmente nos momentos em que era necessário buscar ajuda ou repassar informações de localidades distantes do centro do município.
 
Além dos dez anos da catástrofe natural de 2008, outros assuntos do cotidiano também foram abordados durante a entrevista com Salmos de Souza.
 
Ouça abaixo a íntegra da entrevista.

Data: 20/11/2018
2017 - Todos os Direitos Reservados à Rádio Pomerode.
Site desenvolvido por:
Alho-poró e DM System